Fale com o governo

Treinamento ambiental de profissionais da Educação começa no Núcleo Bandeirante

Com uma palestra sobre consumo consciente de água e prevenção da dengue, 59 servidores selecionados — entre professores e agentes de educação — foram os primeiros a participar do projeto da Secretaria de Educação para formar multiplicadores de conhecimento dos assuntos tratados no encontro.

Parte de uma programação de sete dias, a atividade ocorreu nesta terça-feira (16), no Centro de Ensino Médio 1 do Núcleo Bandeirante.

A palestra, que durou três horas, foi ministrada por agentes da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), da Secretaria de Educação e da Secretaria de Saúde.

O projeto da Educação uniu o plano distrital de ação para prevenção e controle das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, da Secretaria de Saúde, e o programa Mensageiros da Água, da Caesb.

De acordo com Sônia Maria Soares, gerente de Educação Ambiental, da pasta de Educação, a ideia é que esses multiplicadores envolvam todos os outros docentes, gestores, a comunidade escolar e, principalmente, os alunos para que eles sensibilizem as famílias.

Sônia explica que o intuito é trabalhar em rede, para “enfrentar de forma correta a crise hídrica do Distrito Federal e atuar para que a cidade não tenha carência de água no futuro”.

No encontro de hoje, os servidores receberam material informativo sobre a crise hídrica que o DF enfrenta e viram como monitorar o consumo de água na escola pelo site da Caesb. Com isso, eles podem avaliar o histórico dos últimos 12 meses, por exemplo, e definir, com a comunidade escolar, formas de economizar o recurso.

A sugestão é que cada colégio diminua o consumo em 10% — meta estabelecida pelo governo de Brasília em setembro de 2016.

Segundo a pedagoga da Gerência de Gestão Ambiental Corporativa da Caesb Erika Radespiel, “o projeto não está priorizando a mudança na infraestrutura e, sim, no fator humano”. A intenção é estimular novos hábitos não só na escola, mas em todos os lugares, completa Erika.

A Subsecretaria de Vigilância à Saúde trouxe para a capacitação informações sobre o ciclo de vida — da larva à fase adulta — do Aedes aegytpi, mosquito transmissor da dengue, da febre chikungunya e do zika vírus. Assim, os multiplicadores saberão como impedir que o inseto prolifere.

Para isso, cada agente de mobilização ficará encarregado de fazer uma vistoria semanal. “O objetivo do nosso trabalho é inspecionar possíveis criadouros, como ralos, bueiros e caixas d’água”, detalha Petrônio da Silva Lopes, gerente de Controle de Endemias e Ações de Campo, da Secretaria de Saúde.

Caso encontrem focos, a Diretoria de Vigilância Ambiental deverá ser acionada para eliminá-los. “Armazenar água inadequadamente contribui para a proliferação de mosquitos”, alerta Lopes, ao falar sobre a relevância do projeto no combate às doenças causadas pelo vetor.

A meta da Educação é formar 651 profissionais como multiplicadores. As 14 regionais de ensino do DF receberão as palestras informativas até 30 de maio, divididas em grupos. Os capacitados terão o compromisso de repassar o conhecimento às 677 escolas da rede pública.

Próximas capacitações de agentes de mobilização da Secretaria de Educação

Paranoá e São Sebastião

18 de maio (quinta-feira)

No auditório da Coordenação Regional de Ensino do Paranoá e Itapoã

DF 250, Km 3, Sítio Rosas, Paranoá

 

Gama, Recanto das Emas e Santa Maria

19 de maio (sexta-feira)

Local a ser definido

 

Brazlândia, Taguatinga e Samambaia

23 de maio (terça-feira)

Local a ser definido

 

Sobradinho e Planaltina

25 de maio (quinta-feira)

Local a ser definido

 

Ceilândia

26 de maio (sexta-feira)

Local a ser definido

 

Plano Piloto

30 de maio (terça-feira)

Local a ser definido

Mapa do Site Dúvidas frequentes Comunicar erros